quarta-feira, 7 de maio de 2008

Naoko


Gosto de desenhar palavras
Sejam grandes ou pequenas
De esplendor,
Ou de inaúdito brilho

Aqueles borrões
Contendo salpicos
Sarapintaram a minha alma
Sem dó ou piedade

Eu sei que escreverei as linhas
E irei esborratar as caras
Insinuar os tons por que me apaixonei

Vou perder-me nas folhas
Desorientar-me nos números
Tenho que parar - sim parar!

Inspira o cheiro
Desenha até mais não

3 comentários:

expresso do oriente disse...

Parar nunca! Pinta paisagens com letras, que eu gostos dos teus cinzentos.

Pierre Karenine disse...

Hmm, eu sou assim tão óbvio com os meus cinzentos? Ai que a minha escrita é tão a preto e branco que me delicia

expresso do oriente disse...

:)

tb a mim me delicia, apesar dos cinzentos nunca darem lugar a azuis, verdes e rosas... culminando num branco puro que por vezes me engole outras vezes me assusta pelo vazio. mais me preenche o negro.