domingo, 20 de julho de 2008

Bright Lights


Parado.

Vejo histórias que se desenrolam
Por janelas intensas,
Repetições de tantas outras
- o metro descolou

O vinho já não basta
Ele próprio acabou
- sustenho o ar

Os encontrões em sucessões
- oscilo na invisibilidade à repugnância
Ninguém me espera.

Foi verde e veio o tinto
Rasca como a minha pele;
As folhas voaram para longe
Eu sou tudo o que ficou.

Acabou o sentido do alcóol
Da vida ou das beatas;
Resta-me o asco
Tão sentido pela minha mãe

Saltei,
E apartir daí foi tudo brilhante

2 comentários:

RB disse...

E o que acontece quando se cai?

Expresso Oriente disse...

Estou como tu... detesto quando se acaba o vinho (verde, sempre verde)...
Esta noite acabou cedo demais