quarta-feira, 16 de abril de 2008


Tenho um grito por gritar
Como uma voz para falar
Não sei como, nem porquê
Mas sinto-me bem no silêncio

Tenho pernas para andar
Como braços para abraçar
Não quero saber, nem perceber
Mas prefiro ficar bem sossegado

Tenho cérebro para pensar
Como uma alma para avaliar
Não me interessa, nem me incomóda
Mas sabe-me melhor ignorar

E acabando a despejar
Desejo querer matar
Não é engano ou mentira
Simplesmente encontro-me indiferente

2 comentários:

Expresso do Oriente disse...

A apatia e a indiferença... as piores doenças e as mais mortais.
Gostei.

Pierre Karenine disse...

Acho que é um estado em que muitas vezes nos encontramos.